Crítica: Os Suspeitos

Crítica: Os Suspeitos

Denis Villeneuve é um diretor canadense que esta nestas de fazer filme desde 88. Porém por mais que tenha 25 anos de carreira, o diretor não teve muitos filmes que se destacaram, mas algo sempre foi seu forte, a veia dramática. Foi assim com Incêndios, filme de 2009 que mostrava a história de gêmeas que iam ao Oriente Médio tentar descobrir sobre seus laços familiares e também realizar os últimos desejos de sua mãe. O filme é tenso e tem o drama potencializado pela história.

Aaron Guzikowski, escritor de séries, chegou com uma proposta nova para 2013, e junto com Denis, quis contar uma história de que se passava em Boston, Estados Unidos. Na cidade, Keller Dover, um homem simples e humilde, leva uma vida feliz ao lado da esposa Grace e de seus filhos Ralph e Anna. Em um dia chuvoso, a família Denver, vai a casa de Franklin e Nancy Birch, amigos e vizinhos que tem uma filha da mesma idade de Anna, a pequena Joy. Após um jantar delicioso, Anna e Joy, desaparecem. Desesperadas, as famílias chamam a polícia para ajudar a encontrar as meninas e o detetive Loki entra de cabeça na busca. Não demora muito para que um suspeito seja detido, Alex,  aparentemente tem a idade mental de uma menino que tem o QI de uma criança de 10 anos. Correndo contra o tempo, Keller Dover começa a tentar resolver o desaparecimento sozinho, enquanto Loki vai por um outro caminho, também encontrar uma solução para o caso.

Para colocar este filme de pé Hugh Jackman, Jake Gyllenhaal, Viola Davis, Maria Bello, Terrence Howard e Paul Dano foram chamados para dar vida aos personagens. Enquanto Jackman foi incumbido a viver Keller Dover, Jake viveu Loki, mas quem realmente chamou muito atenção no drama é Paul Dano, que faz o suspeito Alex.

Dano por sinal é conhecido por algumas comédias no inicio de sua carreira, porém com o passar do tempo, ele começou a migrar para o drama, e embarcou em filmes como “Looper” e “Ruby Sparks“, ainda esta na produção super bem criticada “12 Years a Slave“. Em “Os Suspeitos”, Dano se superou, fez um papel primordial para a narrativa e mais que isso, deu o tom para o personagem da forma mais convincente e legítima possível.

Hugh Jackman também esta muito bom no filme. Após fazer seu papel “padrão” com Wolverine, Jackman voltou a um drama mais “humanizado” e deu conta do recado com sobras! Jake Gyllenhaal é um ator que eu gosto muito, acho que tem um potencial muito grande para se desenvolver, e que certamente ganhará asas em alguns anos. Em “Os Suspeitos”, ele faz um investigador que não precisa de muita profundidade, ou seja, não conhecemos as reais motivações do personagem e o que se da a entender é que Loki é policial por ser policial. Sem vida, sem família, sem casa, etc…Basicamente o vemos trabalhando o tempo todo. Acho que este é o gap desde filme, a falta de proximidade com este personagem, pois entendemos que ele esta motivado, e ele se entrega ao caso, porém ao mesmo tempo que entendemos este olhar, e nos conectamos com o desespero dos pais, Loki surge como solução e ao mesmo tempo, falta um pouco da “alma” do personagem.

“Os Suspeitos” é um filme que mostra todo o potencial dramático do diretor Denis Villeneuve, é um filme muito bem escrito e esta experiência do diretor encaixou muito bem com a narrativa pesada que o filme se propôs. Denis consegue explorar muito bem os takes de ação, assim como consegue dar o o ritmo necessário a história. Temos por exemplo algumas cenas, que o diretor deixa muito lenta, para dar angústia ao público, já que estamos no meio de uma ação que precisa ser “rápida”. Este ritmo é muito bem feito no filme, e certamente para mim é o ponto forte!

“Os Suspeitos” é um filme de drama que certamente levou o diretor ao estrelado e certamente foi um dos mais bem construídos do ano.

Gostou? Dê um like e passe adiante!

Leia também:

Apoie o Cinem(ação): contribua com a cultura cinematografica!

  • Críticas cinematográficas
  • Mais de 6 horas de conteúdo inédito por semana
  • Podcasts semanais
  • Grupo no Facebook exclusivo para apoiadores
  • Acompanhamento das nossas conquistas com seu apoio

Abra a porta do armário! Deixe seu comentário: