Por um lado, parece muito boa coisa não utilizar-se das músicas originadas na voz dele, porque, assim, não incorre no risco de maiormente emocionar e somente ou praticamente somente emocionar o público num movimento redundante de mostrar o que já se vai assistir sabendo de tudo o que vai acontecer sendo visto, ouvido, pensado, sentido.
Ou seja: “converter convertidos” pela música através de imagens se com conteúdo narrativo mal teorizado, tendencioso ao repetitivo, superficial.
Por outro lado, é uma pena se, de fato, até lá, não for inserida nenhuma música original na voz do cara, porque seria quase que não mostrar o rosto dele como artista, se entendido que o rosto virtuoso do cantor instrumentista é a qualidade produzida pela sua voz e do som do objeto concreto que é seu instrumento.
Além disso, pelo que subentendi pensando um pouco a respeito desta notícia, poderia ou poderá ser utilizada música do Hendrix por bandas “cover”, tudo cover, inclusive, é claro, o Abdré 3000 cantando Hendrix. Ou será que até isso está proibido quando se lê que “o filme não está autorizado a utilizar nenhuma das músicas de Jimi em sua trilha sonora”, pelo que insinua em “nenhuma das músicas de Jimi” ?
Se for isto, este filme será praticamente um filme sem identidade que referencie a quem ele quer sinalizar. Ou, pelo menos, terá trilha sonora composta por outras bandas, outras/os cantoras/es.
Coisa esquisita!
Será que houve rixa entre a empresa e os produtores e isso não ficou divulgado, só aparecendo esta parte da empresa proibindo? Estranho! Muito estranho!