Home Cinema Mundial O Espetacular Homem-Aranha – Especial 3

ADEUS A VELHOS AMIGOS

Mudanças são difíceis, isso é psicologicamente comprovado. Deixarmos nossa zona de conforto e nos desafiar ao novo nem sempre é uma tarefa fácil.

Com filmes também é assim, sempre que vemos uma alteração em algum filme clássico, ou mudança de ator que interpreta determinado personagem em alguma continuação já nos causa estranheza.

Em 2002 fomos apresentados no cinema ao Homem-Aranha. Ele já possuia uma legião de fãs que conheciam suas histórias nos quadrinhos, desenhos animados ou ainda das séries antigonas que muitos nem sabem que existiram. Mas de forma alguma se compara conhecer uma história nova envolto a magia do cinema, que trás todo o fascínio, curiosidade que atrai milhões de pessoas as suas salas por todo o globo.

Em 2002 graças as mãos do diretor Sam Raimi (Arraste-me para o Inferno) fomos apresentados ao primeiro filme da trilogia Homem-Aranha. No filme somos conhecemos  Peter Parker, seu melhor amigo Harry Osborne, sua paixão de colégio Mary-Jane Watson, e seus tios Ben e May Parker.

Peter é picado por uma aranha alterada geneticamente e ganha poderes, e com eles aprende uma dura lição de que “com grandes poderes vem grandes responsabilidades”, lição que o assombrará para sempre juntamente com a morte de seu tio Ben que o criou como filho, morte essa que Peter poderia ter evitado.

No decorrer da trilogia conhecemos um pouco mais dos personagens, aliados e vilões. No primeiro filme o vilão é o Duende Verde, na verdade o cientista Norman Osborne pai de Harry. No final do filme, com a morte de Norman, Harry que culpa o Homem-Aranha vai se transformando em uma pessoa amargurada até culminar em assumir o papel de seu pai como o novo Duende Verde. Também tivemos o excelente Doutor Octopus interpretado por Alfred Molina, além do Homem Areia e Venon no filme 3.

A trilogia de filmes Homem-Aranha fez grande sucesso em bilheteria, mas no final o terceiro filme acabou sendo um fracasso visto aos olhos dos críticos e fãs. Acontece que não sei se foi por culpa do diretor ou do ator que interpretou o aranha, Tobey Maguire, mas a essência do Homem-Aranha não estava lá. Peter Parker é um cara sossegado, um cientista brilhante, preocupado com o bem estar de todos ao seu redor. Mas quando veste o uniforme ele se solta mais. Mais do que socos nos vilões ele os desmoraliza, tira sarro, provoca, podemos sentir que é um trabalho em que ele consegue se divertir e esse espírito não foi passado nos filmes.

Com relação ao romance, o filme tem uma boa química entre Tobey Maguire e Kirsten Dunst, mas o ator tem uma cara de peixe morto que não convence. Interessante a escolha da personagem Mary Jane para ser a namorada de Peter sendo que na realidade a primeira namorada foi Gwen Stacy que foi morta pelo Duende Verde. Aliás no primeiro filme tem a cena onde o Duende solta MJ e um bonde e força o Homem-Aranha a escolher quem salvar, cena essa que resultou na morte de Gwen Stacy nos quadrinhos. Mas a personagem dá as caras no terceiro filme, interpretada pela bela Bryce Dallas Howard.

Uma das grandes falhas do filme foram algumas tentativas cômicas que mais causavam vergonha alheia e mal estar ao espectador do que risos, principalmente no sofrível terceiro filme. Mas também tem cenas que ficarão para sempre marcadas, quem não gostou da cena do beijo de ponta cabeça na chuva em homem aranha 1.

Os filmes devem ser visto por todos os fãs de quadrinhos e filmes, uma saga com começo, meio e um fim que foi decepcionante e não conseguimos engolir até hoje.

Agora isso tudo é passado e que venha o futuro espetacular.

Comments

comments

Deixe uma resposta

CIN(ESTREIA)

Após a chegada arrasante de "Capitão América 2: O Soldado Invernal", que levou mais de 1 milhão de espectadores às salas escuras, os cinemas...
Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers: