Home Críticas 3 Claquetes Crítica: American Pie – O Reencontro

Situações constrangedoras, referências sexuais, situações de pastelão, referências sexuais, drogas e referências sexuais. Assim surgiu a série American Pie, e da mesma maneira ela termina.

“American Pie – O Reencontro” funciona como uma despedida da série de comédia que rendeu filmes que variam do bom (American Pie) ao medíocre (filmes caça níqueis lançados diretos em home vídeo).

Como referência a uma comédia marcante de sua época, o filme pode se permitir repetir momentos e piadas, já que tem a “homenagem” como desculpa.

Tal qual o primeiro American Pie, o filme baseia-se na experiência sexual dos personagens principais como propulsor de situações engraçadas (em sua maioria). Como sempre, o roteiro se vale das personalidades dos personagens, cada qual com sua característica, sendo que desta vez os produtores ao menos conseguiram reunir todo o elenco original (todo mesmo, já que até a personagem latina surge no vídeo apenas para fazer uma piada e ir embora), ao contrário de “American Pie – O Casamento”.

Despretensioso, como era de se esperar, “American Pie – O Reencontro” faz bem em tratar a relação dos recentes adultos com a adolescência perdida, e merece respeito por não retratar, em nenhum dos personagens principais, a típica representação do “american way of life”. Todos amadureceram (exceto Stifler, talvez), mas cada um tem sua relação com o passado para tratar.

Embora peque em diversas cenas de comédia absolutamente sem graça (é engraçado alguém fazer cocô na cerveja?), “American Pie – O Reencontro” serve como um bom (apenas bom) fechamento da série e uma divertida revisita ao início de tudo, especialmente aos que vivem as mesmas faixas etárias dos amigos tanto hoje quanto há 13 anos.

Nota: 03 Claquetes

CIN(ESTREIA)

Chegou aos cinemas o filme "O Segredo dos Diamantes", de Helvécio Ratton (
Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers: