Home Críticas Dois filmes argentinos

O cinema argentino sempre se destacou no mundo todo por sua variedade, bem como sua inconstância. Tal como o cinema brasileiro, o cinema argentino produz muitos filmes medianos e fracos, porém conta com a frequente produção de filmes fortes e de excelente qualidade. Em 2009, o filme “O Segredo dos Seus Olhos” ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Os diretores argentinos mais bem sucedidos recentemente são Daniel Burman (2 Irmãos; O Abraço Partido), Juán José Campanella (O filho da Noiva; O Segredo dos Seus Olhos) e Pablo Trapero (Abutres), entre outros.

Recentemente, estrearam dois filmes nos cinemas do país.  Leia abaixo a sobre eles:

Viudas

Viúvas, em tradução direta. Dirigido por Marcos Carnevale, mostra o drama de duas mulheres que amavam o mesmo homem recém falecido. Esposa e amante passam a ter que conviver após perderem o homem que amavam. Em tom de tragicomédia, o filme é uma boa oportunidade para conhecer o humor ácido típico dos argentinos. Muito parecidos com dramas europeus, o filme não apresenta grandes trunfos. Seu forte está na impactante atuação de Graciela Borges, que vive Elena, a esposa que perdeu o marido – Graciela Borges é uma das maiores atrizes argentinas e faz por merecer o título. Como manda o figurino, o filme conta com personagens secundários cômicos que deixam a trama um pouco mais leve.

Juan y Eva

O filme “Juan y Eva” conta uma história muito conhecida pela população argentina, embora de um ponto de vista diferente. Baseado no título e na sinopse, percebe-se que o foco da projeção é mostrar a história de amor e devoção entre o militar Juán Domingos Perón e a atriz Eva Duarte, que mais trade seria conhecida pelo mundo como Evita Perón. No entanto, o filme se perde e passamos a não saber de onde veio ou pra onde vai. Em certo momento, o público não entende exatamente qual o foco da história: se no casal, nos acontecimentos políticos ou no drama de Juán Perón.

Por um lado, a diretora Paula de Luque acerta ao não tentar explicar demasiado o que se passa politicamente ou em que ano se passa cada um dos episódios do filme. No entanto, o filme é realmente episódico e se concentra nas diversas etapas das vidas do casal. Por outro lado, a direção de atores é falha na hora de mostrar a caracterização dos personagens, assim como nada inventiva, visto que trabalha com planos “americanos” e cortes secos.

A quem não conhece a história do país, o filme é elucidativo sem ser chato, afinal mostra como se criou o movimento político do “Peronismo”, que rege a política atual da nação alviceleste. No entanto, o público-alvo do filme é o povo argentino, que já conhece boa parte da história (por ter estudado na escola e por ser um povo muito politizado), e portanto ele não parece agregar nenhum valor ao que já se conhece e se sabe. Em alguns momentos, o filme parece muito mais um típico “filme para TV” do que algo feito para o cinema.

  • Paula Teixeira

    Estive em buenos Aires na ultima semana, inclusive no museu da evita. Já sabia um pouco de sua história, mas descobri coisas que desconhecia como os danos feitos ao seu corpo. Assisti na internet o filme JuanyEva e pensei a mesma coisa: a linguagem e de um filme para tv, bem parecida com algumas minisseries brasileiras feitas pela Globo. Se concentrou muito na parte da revolucion. Tinha curiosidade em ver a relação após o casamento e a doença, apesar de saber muito bem que é uma obra meramente ficcional. Lendo e considerando as condições da época e atuais da argentina, como também do brasil, e possível entender a paixão desse povo por ela.

CIN(ESTREIA)

0 181

Nesta quinta-feira, dois filmes importantes chegam aos cinemas brasileiros: "O Homem Mais Procurado" e "Trash - A Esperança vem do Lixo". No primeiro, um dos...
Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers: